A R Q U I T E T U R A


A arquitetura dos Emirados reflete os costumes e estilos de vida das pessoas locais. Os recursos eram limitados e o meio ambiente áspero. Materiais de construção eram simples, mas maravilhosamente adaptados às demandas do dia-dia e ao clima. Tendas portáteis proporcionavam abrigo durante as andanças das tribos no inverno. Durante o verão, as casas eram um ‘arish’ feito de folhas de palmeiras. ‘Os arish eram comuns na pesca costeira e em estabelecimentos comerciais. No interior do país, as casas mais permanentes foram construídas de pedra guss (uma mistura de barro feita em blocos) e cobertas com folhas de palmeiras. Corais fossilizados, cortados em blocos, eram ligados com sarooj (uma mistura de argila vermelha iraniana e estrume de animais), ou uma mistura de cal derivada de conchas, e rebocada com giz e água, amplamente utilizada nas regiões costeiras.

A prosperidade econômica e a explosão populacional dos Emirados foram trazidas pela enorme injeção de capital vinda das receitas do petróleo que impactaram o país social e culturalmente, produzindo um aumento na demanda por prédios públicos e casas privadas. Os designs modernos, os materiais de construção e a tecnologia rapidamente substituíram a arquitetura nacional, logo transformada em museus e centros históricos. Em muito pouco tempo, modernos arranha-céus alteraram a paisagem urbana. Prédios tecnologicamente inovadores transformaram-se em uma característica das grandes cidades do país. Atualmente, existe uma preocupação em se dar continuidade à cultura, usando-se elementos da antiga arquitetura no design dos novos prédios assim como um esforço em se preservar os prédios antigos.